Conecte-se conosco

Polícia

Padrasto é preso após jogar gasolina e atear fogo na enteada

Publicado

em

A jovem teve 20% do corpo queimado. | (Reprodução/Arquivo pessoal)

A Polícia Civil prendeu na última quinta-feira (16), um homem identificado como Vilmar Leal, de 53 anos. Ele teve a prisão decretada pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro após quebrar uma medida protetiva e atear fogo na enteada de 21 anos.

O crime aconteceu na madrugada de 11 de outubro do ano passado, em Nova Iguaçu, na ‘Baixada Fluminense’. Mesmo impedido pela Justiça de ser aproximar da ex-mulher com quem tem um filho, o acusado invadiu a casa dela e iniciou uma discussão. A enteada estava na residência e tentou interferir na briga. A jovem, então, foi agredida e teve parte do corpo banhado com gasolina e incendiado.

Em depoimento a jovem contou que, ele começou a discutir com minha mãe dela, ameaçando botar fogo na casa toda. E nessa hora ela foi ver o que estava acontecendo e ele lhe deu uma cotovelada . Depois, jogou gasolina em seu corpo e quando abriu os olhos já estava incendiada. 

A jovem sofreu queimaduras de segundo grau no rosto, nos braços, pescoço e orelhas. Após a agressão, Vilmar fugiu do local. Já nesta quinta-feira, agentes da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) localizaram e prenderam o suspeito. E agora ele responderá por tentativa de feminicídio.

De acordo com as autoridades, não é a primeira vez que Vilmar é alvo de uma investigação da Polícia Civil. Só na Deam de Nova Iguaçu ele é investigado em mais quatro procedimentos por ameaça, injúria, estupro de vulnerável e lesão corporal.

A mãe da vítima que viveu por cerca de três anos com Vilmar confirmou já ter sido agredida por ele e disse esperar que seu ex-marido se transforme em outra pessoa quando pagar pelos crimes que cometeu.

DOL

Publicidades

Mais Lidas