Conecte-se conosco

Anápolis

Sequestrador ameaça matar mãe de empresário se não receber R$ 8 milhões: ‘Um homicidiozinho é pouca coisa para mim’

Publicado

em

Ex-cunhada de empresário é sequestrada em Anápolis — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Áudios e vídeos divulgados pela Polícia Civil mostram ameaças de sequestrador a mãe de empresário de Anápolis, a 55 km de Goiânia. Ela e a ex-cunhada da vítima foram levadas da cidade e criminosos pediram R$ 8 milhões em bitcoins para não ferirem as mulheres.

Após mais de 10 horas com os sequestradores, elas foram resgatadas sem ferimentos e sem que o empresário precisasse fazer a transferência.

Três homens são procurados pelo crime e já são considerados foragidos. Eles não haviam sido presos até o final da manhã desta segunda-feira (2). A Polícia Civil informou que o principal deles é filho de empresários mineiros, identificado como Luís André Martins. Os outros dois seriam amigos dele. Todos sem registros de crimes anteriores.

Em um áudio, o sequestrador diz ao empresário que matar a refém não seria nada demais.

“Já tenho um caminhão de crimes. Um homicidiozinho é pouca coisa para mim”, desafiou.

Um vídeo gravado pelo sequestrador mostra a mãe do empresário enquanto o investigado xinga e exige ser pago. “Você vai me pagar agora. Não tenho mais nada a perder. Você acabou com a minha vida”, afirmou.

As investigações apontaram ainda que o filho de empresários não teria dificuldades financeiras e que teria cometido o sequestro para receber o valor por questão de “orgulho”.

Segundo as vítimas contaram aos policiais, esse filho de empresários e mais um rapaz estavam armados, mas não foram violentos. O terceiro investigado seria dono do segundo carro usado no sequestro e emprestou o veículo, além de dar suporte à distância.

Outros áudios mostram que o investigado disse ao empresário várias vezes para que não envolvesse a polícia no caso, sempre ameaçando ferir as vítimas.

Segundo as investigações, o empresário tem uma companhia que trabalha com transações de criptomoedas que entrou em recuperação judicial. O sequestrador seria um dos investidores que se sentiu lesado com a falência da empresa e quis cobrar uma parte.

No entanto, o próprio dono dessa empresa não tem acesso aos bens. Todos os valores estão congelados por causa do processo de recuperação judicial.

Outra gravação mostra o empresário conversando por uma chamada de vídeo com os autores e promete realizar a transferência das criptomoedas em até duas horas. As táticas da corporação envolviam tentar ganhar tempo, já que a vítima não teria como fazer a transferência do valor pedido pelo sequestrador.

Sequestro

As vítimas, de 31 e 68 anos, foram sequestradas na manhã de sábado (30). Segundo a Polícia Civil, a primeira a ser levada por criminosos foi a ex-cunhada do empresário. Câmeras registraram o momento em que ela foi abordada.

Ela disse à corporação que o homem que a abordou na porta de casa disse que estava com o filho dela e que ele seria machucado se ela não o acompanhasse.

Segundo a mulher, os sequestradores a forçaram a dizer onde a mãe do empresário estava. A idosa foi localizado em uma feira da cidade e pega em seguida.

Segundo as investigações, as vítimas foram levadas de Anápolis, onde moram, a Águas Lindas de Goiás, onde ficaram em um primeiro cativeiro.

Cativeiro em Águas Lindas de Goiás de mãe e ex-cunhada de empresári — Foto: Divulgação/Polícia CivilCativeiro em Águas Lindas de Goiás de mãe e ex-cunhada de empresári — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Cativeiro em Águas Lindas de Goiás de mãe e ex-cunhada de empresári — Foto: Divulgação/Polícia Civil

O delegado responsável pelo caso, Thiago Martimiano, disse que essa casa usada no crime foi alugada com antecedência.

“Eles planejaram – não sabemos por quanto tempo. Esse filho de empresários já havia cobrado a vítima por meio de cartas. Ele chegou a alugar um imóvel em Anápolis, onde foi montado um cativeiro, e esse outro em Águas Lindas”, detalhou.

Conforme o delegado, enquanto estavam no entorno do DF os sequestradores desconfiaram de que haviam sido descobertos, então foram a Brasília, onde trocaram a SW4 em que estavam por um Corolla branco.

No novo carro, eles seguiram para o interior de Minas Gerais e se esconderam em uma propriedade da zona rural de Unaí.

Moradores da região notaram a chegada de dois homens e duas mulheres ao local e denunciaram a movimentação à PM mineira, por acharem estranha a presença deles na propriedade. Esse local, segundo o delegado, pertence a conhecidos do principal sequestrador. Eles teriam ido para lá quando “já não sabiam o que fazer”, disse Martimiano.

A Polícia Militar foi ao local e, enquanto chegava, viram dois homens fugindo em direção ao matagal. As vítimas foram deixadas na propriedade e resgatadas pelos policiais poe volta de 23h ainda do sábado.

Elas foram levadas pelos policiais civis de volta para casa, onde chegaram no início da manhã de domingo (1).

FONTE: G1 GO

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--
--Publicidade--

Mais Lidas