Conecte-se conosco

Polícia

Mulher mata ex-marido por dinheiro para viajar e resgatar herança no Líbano

Publicado

em

Cunhado e sogro da vítima também teriam participado do assassinato, em Uberaba. Segundo a polícia, os dois confessaram o crime e pediram proteção a satã

Ex-sogro da vítima foi preso pois teria ajudado no homicídio

Mulher, irmão e pai foram presos por suspeita de matar um homem em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Os irmãos foram presos no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) enquanto tentavam embarcar para o Líbano. De acordo com a Polícia Civil, os dois confessaram o crime. O pai da dupla teria acobertado os filhos.

Frederico Alvarenga da Cunha, de 35 anos, estava desaparecido desde 5 de novembro. De acordo com as investigações, ele recebeu ligação da ex-mulher, dizendo que o pai dela teria um comprador para o carro dele que estava à venda. Posteriormente, o carro da vítima, um Fiesta dourado, chegou a ser abordado em uma blitz em Goiás. Os dois irmãos estavam no veículo.

Durante as investigações, foi cumprido um mandado de busca e apreensão na casa da mulher e identificado sangue em um quarto. Em laboratório, foi possível constatar que se tratava de sangue humano.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Cyro Moreira, na moradia também foram encontrados elementos de rituais satânicos que comprovaram a intenção da dupla de fugir para o Líbano, onde teriam uma herança para receber. “Tinha vários objetos e um bilhete em oração a satã, pedindo ajuda para que a viagem ao Líbano fosse bem-sucedida”, contou delegado.

De acordo com a Polícia Federal, os irmãos eram netos de libaneses. A mulher estava pedindo renovação do visto e o irmão tinha visto válido. Na última sexta-feira (22/11), a polícia já havia feito o pedido judicial de mandado de prisão, que, entretanto, não havia sido autorizado. Na parte da manhã, eles estiveram na PF para retirar o passaporte. A Polícia Civil foi informada, mas ainda não tinha autorização para efetuar as prisões.

Os dois foram monitorados e, durante a noite, quando foram autorizados os mandados, a Polícia Civil comunicou aos aeroportos brasileiros. No dia seguinte, o pai dos suspeitos foi preso em casa. Os irmãos foram pegos no domingo (24/11), embarcando no aeroporto de Guarulhos.

Suspeitos confessaram, diz polícia

Ao serem presos, os irmãos voltaram para Uberaba para prestar depoimento. “Eles foram interrogados e estão preocupados com o fato de o pai estar preso. Com isso, resolveram confessar dizendo que apenas os dois participaram do crime. Mesmo assim, temos testemunhas e outros indícios que confirmam a presença de um terceiro envolvido”, explicou o delegado.

“Eles disseram que o pai não participou, mas acreditamos que sim. No dia seguinte do crime, viram o carro do pai parado na casa; também limparam a residência; no dia do crime, vizinhos ouviram barulhos de briga corporal. Segundo relatos, dois homens discutiam enquanto um terceiro agonizava. Logo depois, os gemidos cessaram”, detalhou Cyro.

Em depoimento, os irmãos contaram que em 4 de novembro decidiram matar o homem para ficar com o carro e vender, pois precisavam de dinheiro para sair do país. “Quando Frederico chegou na casa e sentou no sofá, o irmão da mulher atacou a vítima com o fio do telefone, para estrangular. Ele tentou resistir e a mulher o segurou”, disse.

Os envolvidos ainda disseram à polícia que colocaram o corpo no carro e o abandonaram às margens de uma estrada na zona rural de Uberaba. Depois, foram para Goiânia e venderam o carro por R$ 6 mil. Ainda segundo a polícia, os irmãos disseram que o sangue encontrado não era da vítima, mas se referia a rituais satânicos que eles faziam com eles próprios.

O corpo foi encontrado, reconhecido pela família e por exame odontológico. A perícia esteve no local. Os três suspeitos foram presos temporariamente até a conclusão do inquérito, que ainda pode ter outros desdobramentos. O filho do casal, de 18 anos, ficou aos cuidados dos avós.

Correio Braziliense

--Publicidade--

Publicidades

--Publicidade--
--Publicidade--
--Publicidade--

Mais Lidas