Conecte-se conosco

Destaque

Câmara aprova texto-base da reforma da Previdência por 370 votos a 124

Avatar

Publicado

em

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou a quebra do prazo de cinco sessões entre as votações em primeiro turno e em segundo turno para que a PEC da reforma da Previdência (6/19) possa ser votada ainda hoje.

Por 370 votos a favor, 124 contra e 1 abstenção, o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, em segundo turno, o texto-base da proposta de emenda à Constituição que reforma da Previdência.

Sob aplausos, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), proclamou o resultado à 0h38 desta quarta-feira (7), depois de cinco horas de debates.

A sessão foi encerrada logo após o anúncio do placar. Segundo Maia, os deputados começarão a discutir os destaques em sessão marcada para as 9h de hoje. No segundo turno, só podem ser votados destaques e emendas supressivas, que retiram pontos do texto. Propostas que alteram ou acrescentam pontos não podem mais ser apresentadas.

A sessão para votar a reforma da Previdência em segundo turno começou às 19h15, depois de Rodrigo Maia passar o dia esperando a formação de quórum no Plenário da Casa. Por volta das 19h50, os deputados rejeitaram um requerimento do PSOL para retirar a proposta de pauta, por 306 votos a 18.

Por volta das 20h55, os parlamentares votaram um requerimento dos líderes para encerrar as discussões depois de dois deputados terem falado contra e dois a favor. Aprovado com 350 votos favoráveis e 18 contrários, o requerimento ajudou a acelerar a sessão.

Em seguida, deputados do centrão e do governo esvaziaram o Plenário para forçar Rodrigo Maia a encerrar e reabrir a sessão, reduzindo o número de requisições da oposição para alongar os debates.

No início da noite, os parlamentares aprovaram, em votação simbólica, a quebra do prazo de cinco sessões entre as votações em primeiro turno e em segundo turno para que a PEC pudesse ser votada ainda nesta madrugada. Nas últimas horas, o Plenário aprovou requerimentos para acelerar a sessão, como o que rejeitou em bloco todos os destaques individuais e o que impediu o fatiamento da votação do texto principal.

O primeiro turno da proposta foi concluído no dia 13 de julho. Na ocasião, o texto principal foi aprovado por 379 votos a 131. Em segundo turno, são necessários também 308 votos para aprovar a PEC, e os partidos podem apresentar somente destaques supressivos, ou seja, para retirar partes do texto. Concluída a tramitação na Câmara, a matéria segue para análise do Senado, onde também será analisada em dois turnos de votação.

Divergências

A oposição ainda tenta modificar trechos da proposta e anunciou que apresentará os nove destaques a que tem direito para tentar retirar pelo menos quatro itens do texto da reforma. Estão no foco dos partidos da oposição a retirada de trechos como as mudanças na pensão para mulheres, nas aposentadorias especiais, na pensão por morte e as regras de transição.

A líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), reiterou nessa terça-feira (6) que oposição trabalhará na “redução de danos” ao trabalhador. Entre os pontos que a oposição tentará retirar da reforma estão a restrição ao abono salarial a quem recebe até R$ 1.364,43 em renda formal e a redução de novas pensões a 50% do salário médio do cônjuge falecido, com acréscimo de 10 pontos percentuais por dependente.

No entanto, para deputados da base governista, os destaques serão rejeitados independentemente dos esforços dos partidos de oposição. “A oposição está obstruindo, e obstruir significa não trabalhar para que Brasil possa avançar. Nós vamos, queira a oposição ou não, votar a reforma, a nova Previdência, para que o País volte a crescer e para que façamos com que ele volte a gerar emprego e oportunidade de vida ao povo brasileiro”, disse o deputado Darci de Matos (PSD-SC).

Fonte: AGÊNCIA BRASIL

Destaque

PC desarticula grupo suspeito de extorquir clientes após encontros sexuais

Avatar

Publicado

em

Investigações apontam que o grupo atuava em Goiânia e no Distrito Federal. Segundo a PC, envolvidos são suspeitos de obrigar vítimas a fazerem transferências bancárias sob grave ameaça ou violência

(Foto: Polícia Civil)

Polícia Civil de Goiás (PC-GO) cumpriu, no último dia 14 de agosto, quatro mandados de prisão preventiva contra integrantes de uma quadrilha, composta por travestis, suspeita de extorquir clientes após encontros sexuais, em Goiânia.

Os mandados de prisão em desfavor de Yago Pereira, conhecido como “Anita”; Eduardo Souza Luz, sob a alcunha de “Stephany”; Samuel Junio Nápole e Marcelo Dias Moreira foram cumpridos no Complexo Prisional da Papuda, no Distrito Federal. Os investigados já haviam sido presos pela Polícia Civil do DF, em razão de crimes semelhantes aos praticados na capital goiana.

As investigações apontam que, na ocasião dos crimes, a vítima se interessava por um dos autores e era atraída até um hotel. No local, um dos suspeitos fazia check-in regularmente, enquanto outros adentravam ao quarto de forma clandestina. Já no quarto, o grupo chantageava a vítima com filmagens da relação sexual ou extorquia mediante grave ameaça ou violência.

Os dois casos de conhecimento da PC-GO ocorreram em um mesmo hotel, no Centro de Goiânia, cujos proprietários colaboraram com as investigações. Nas duas oportunidades, segundo a corporação, Anita, Stephany e Samuel agiram em conluio, agredindo e obrigando as vítimas a desbloquearem os aparelhos telefônicos, fazendo transferências bancárias que somaram mais de R$ 20 mil. Marcelo Dias participou de uma das ações, enquanto Paulo Rogério agiu em um segundo crime.

O mandado em desfavor de Paulo Rogério Marques Vasconcelos, quinto integrante do grupo, será cumprido no momento em que o investigado chegar ao Brasil, já que ele foi preso na Espanha, após ser incluído na lista de foragidos da Interpol.

Prisões

O 1º DP de Goiânia conduz dois casos que envolvem a participação dos suspeitos e, por isso, o delegado responsável pela investigação, Paulo Ribeiro, representou pela prisão dos investigados. Paralelamente, no entanto, a Polícia Civil do DF fazia operação com o escopo de prender a mesma quadrilha, que também agia naquela unidade federativa, a qual resultou na prisão de três dos investigados, na capital goiana.

Como os pedidos de prisão em Goiás demoraram mais para serem deferidos pelo Poder Judiciário, a Polícia Civil de Goiás cumpriu os quatro mandados já com os investigados presos, no Complexo Penitenciário de Papuda. Samuel, por exemplo, foi preso no Chile e recambiado para o Distrito Federal.

FONTE:https://www.emaisgoias.com.br/pc-desarticula-grupo-suspeito-de-extorquir-clientes-apos-encontros-sexuais/

Continue lendo

Curta nossa página!

Publicidades

Estatísticas do Google Analytics

gerado por GADWP 

Posts recentes

Destaques