Últimas Notícias
Home / Destaque / Polícia acredita que jovem pode ter matado bebê de 11 meses e se matado logo em seguida, por não aceitar separação, em Piranhas

Polícia acredita que jovem pode ter matado bebê de 11 meses e se matado logo em seguida, por não aceitar separação, em Piranhas

Foto: Arquivo pessoal/ Ronei Portilho Forte

Avó encontra morto dentro de casa o neto de 25 anos e bisneto de 11 meses, neste domingo (09), na cidade de Piranhas, que fica na região oeste de Goiás. A casa do neto fica nos fundos do lote da casa da avó.

O jovem que é pai do bebê estava separado da mulher pouco mais de  2 meses e estava com a criança para passar o final de semana. A avó estranhou porque eles tinham o costume de levantar cedo e foi ver o que havia acontecido  e se deparou com os dois já sem vida.

Segundo a ocorrência, a polícia foi acionada  por parentes das vítimas às 9 horas da manhã, mas não se sabe a hora que aconteceu o crime. O serviço do SAMU também foi acionado para atender a ocorrência, que constatou a morte de pai e filho.

Segundo o sargento da PM, Ronei Portilho Forte, ao que tudo indica, o rapaz matou o filho e, em seguida, se matou. “A criança estava deitada na cama, sem vida”, detalhou o policial.

A polícia acredita que o motivo da morte do bebê se deu por asfixia, o que poderá ser comprovado ou não, após resultado de perícia. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Os corpos foram encaminhados para o IML de Aragarças. A mãe, ao saber da morte do filho, passou mal e teve que ser encaminhada a atendimento médico. Segundo os parentes, o homem não aceitava a separação do casal.

 

Sobre Eduardo de Carvalho

Avatar
Eduardo de Carvalho é diretor geral do Portal da Época.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.