Home / Destaque / Dezesseis deputados federais goianos receberam o auxílio-mudança no valor de R$ 33.763

Dezesseis deputados federais goianos receberam o auxílio-mudança no valor de R$ 33.763

De acordo com a Câmara, apenas o Major Vitor Hugo (PSL) não recebeu a verba que é equivalente ao salário do parlamentar (R$ 33.763,00)

No total, apenas 36 deputados federais abriram mão do benefício (Foto: Reprodução Congresso Nacional)

Dezesseis entre o 17 deputados que representam Goiás na Câmara dos Deputados, em Brasília, receberam o auxílio-mudança pago aos parlamentares no último dia 25 de fevereiro. Apenas o Major Vitor Hugo (PSL) abriu mão do benefício. Segundo a Câmara, o valor é mesmo que o salários dos deputados, como se fosse uma espécie de 14º salário. Ao todo, cada um recebe R$ 33.763.

Ao todo, dos 513 deputados federais, apenas 36 abriram mão do auxílio. Até para deputados que foram reeleitos e/ou que já residem em Brasília (DF)receberam o repasse. O Mais Goiás entrou em contato com os deputados goianos. Confira quais foram os posicionamentos sobre o pagamento do auxílio.

No pleito de 2018, dez deputados foram eleitos pela primeira vez para comporem o Congresso Nacional. Veja o que eles dissera sobre o recebimento do auxílio-mudança.

 Delegado Waldir (PSL)

Por meio de nota, o deputado afirmou que mora na capital federal e retorna ao fins de semana a Goiânia. Ele explicou que não faz uso do auxílio-moradia e que também não utiliza imóvel funcional. E mais: que o dinheiro “foi gasto como determina o decreto, para cobrir os gastos com deslocamento e as novas instalações nesse início de mandato.”

João Campos (PRB)

O deputado, por meio de nota, se limitou em dizer que recebeu o benefício que “é pago a todos os 513 parlamentares dentro da lei no início e no fim do mandato”.

Magda Moffato (PR)

A deputada, por meio de nota, afirmou que o auxílio “não foi solicitado por ela e que foi automaticamente depositado na conta”. Porém, não informou se vai devolver o benefício ou de que forma foi gasto.

Francisco Júnior (PSD)

O deputado disse que mora em Goiânia, mas vai à Brasília onde fica até as quintas-feiras. Ele destaca que procurou saber sobre a legalidade do pagamento. “Eu encaro ele [pagamento do auxílio-mudança], para deputados que têm a minha condição financeira, como necessário para gerar uma boa condição de trabalho para atender à população”, disse. Francisco também contou que está na fila para receber o apartamento funcional e que o dinheiro do auxílio-mudança será revestido para a estruturação do imóvel e do escritório, que será montado em Goiânia.

Professor Alcides (PP)

O deputado, por meio de nota, ressaltou sobre a legalidade do auxílio-mudança. E também destacou a decisão de abrir mão do seu salário como parlamentar. Segundo ele, o ato foi firmado em cartório e os valores “serão revertidos ao bem comum, com a devida prestação de contas”, mas não precisou de qual forma isso vai acontecer.

José Nelto (PODE)

O deputado declarou, em rede social, que não vai receber o auxílio mudança e anunciou a devolução do valor. Uma enquete foi proposta pelo parlamentear para saber se o dinheiro retorna para o caixa da Câmara ou é doado para o Hospital Araújo Jorge, em Goiânia.

Major Vitor Hugo (PSL)

Mais Goiás entrou em contato com o deputado, mas ele cumpria extensa agenda com a visita do presidente autoproclamado da Venezuela, Juan Guaidó, o na última quinta-feira (28), por isso não foi possível conciliar uma entrevista.

Célio Silveira (PSDB)

Mais Goiás entrou em contato com o parlamentar, mas as ligações não foram atendidas.

Flávia Morais (PDT)

O Mais Goiás entrou em contato com a deputada, mas as ligações não foram atendidas.

Rubens Otoni (PT)

Mais Goiás entrou em contato com o deputado, mas não obteve o retorno até a publicação da matéria.

Lucas Vergílio (SOLIDARIEDADE)

Mais Goiás entrou em contato com o parlamentar, mas não tivemos retorno até a publicação dessa matéria.

Zacharias Calil (DEM)

Mais Goiás entrou em contato com o médico e deputado, mas as ligações não foram atendidas.

 

Glaustin da Fokus (PSC)

Mais Goiás entrou em contato com o deputado, mas não houve retorno até a publicação da matéria.

Zé Mário (DEM)

Mais Goiás entrou em contato com o parlamentar, mas não obtivemos retorno até a publicação da matéria.

Adriano do Baldy (PP)

Mais Goiás entrou em contato com o deputado, mas não houve retorno até a publicação dessa matéria.

Elias Vaz (PSB)

Mais Goiás entrou em contato com o parlamentar, mas não houve retorno até a publicação dessa matéria.

Alcides Rodrigues (PRP)

Mais Goiás entrou em contato com o parlamentar, mas não houve resposta até a publicação da matéria.

Entenda a polêmica

O pagamento do benefício foi realizado na última segunda-feira (25) após a contraordem deferida pelo juiz federal Ronivon de Araújo, de Sergipe. A primeira parte do benefício foi antecipada pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM) ainda em época da candidatura à reeleição.

Uma ação popular foi protocolada na Justiça Federal de Minas. O juiz Alexandre Henry Alves, de Ituiutaba (MG), deferiu a suspensão de pagamentos a deputados e senadoresreeleitos naquele estado e até uma multa, no valor de R$ 2 mil, foi fixada caso o pagamento irregular fosse realizado. O caso foi parar na Justiça Federal de Sergipe por haver uma ação com a mesma temática. Lá, a ação foi acatada pelo juiz Pedro Esperanza Sudário.

Como justificava, Ronivon Araújo alegou que não havia “qualquer ilegalidade” no pagamento e apontou ainda “risco claro” de o Judiciário se tornar “árbitro da moralidade social” . “Ao tempo em que se deve admitir como legítima a postura de quem discorda de tais benesses dadas a essas carreiras estatais, também é legítimo considerar que a sua eventual alteração deve, primeiramente, buscar o caminho da legalidade, através dos espaços conformados à atividade legislativa”, conta o juiz.

Fonte: https://www.emaisgoias.com.br/dezesseis-deputados-federais-goianos-receberam-o-auxilio-mudanca/

Sobre Direto da Redação

Veja Também

Policial militar da reserva é morto a tiros em tentativa de assalto em posto de combustível em Caturaí

Espalhe por ai: O policial militar da reserva Sargento Wellington Prado foi morto em tentativa ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.