Home / Destaque / Babá condenada por furtar mais de R$ 15 mil para dar dízimo, em Goiás

Babá condenada por furtar mais de R$ 15 mil para dar dízimo, em Goiás

Crimes aconteceram em 2017 e Juíza determinou mais de dois anos de reclusão à condenada; Justiça entendeu que ela se aproveitava do chefe levar dinheiro para casa antes de depositar em banco

A babá Siomara Gonçalves foi condenada, na segunda-feira (26), por furto qualificado. O crime, cometido de forma continuada, teria sido contra as mesmas vítimas — empregadores da mulher — , no Residencial Eldorado, em Goiânia. Segundo os autos do processo, mais de R$ 15,3 mil foram levados em três meses de trabalho da mulher com a família, para gastos com compras de tênis, restaurantes e pagamentos de dízimo. A pena inicialmente será cumprida em regime aberto, e cabe recurso da decisão.

A juíza Placidina Pires, da 6ª Vara dos Crimes Punidos com Reclusão, entendeu que Siomara praticou, em ocasiões diferentes, furtos que chegaram à quantia de R$ 15.360,00. Os crimes, segundo os autos, foram praticados entre agosto e outubro de 2017, no apartamento que os empregadores moravam. Ainda segundo a magistrada, a autora dos fatos teria se aproveitado da confiança dos empregadores para subtrair os valores.

Na sentença, a juíza esclareceu que a mulher acusada já havia trabalhado na casa de outros familiares das vítimas, e que inclusive assumiu o crime, justificando que o dinheiro seria para pagar compras, despesas em restaurantes e dízimos em igrejas. “Uma das testemunhas afirmou que conhecia a autora desde que era criança e a indicou para trabalhar na casa das vítimas porque a denunciada gozava de confiança na família. Afirmou, ainda, que, antes de Siomara ser presa, a vítima já tinha sentido a falta de alguns valores, mas arcou com o prejuízo e não tomou nenhuma providência contra a acusada, porque confiava nela. Detalhou que, no dia da prisão (em flagrante), a autora confessou o crime, afirmando que praticou as subtrações por ‘doença’ e que tinha gastado o dinheiro subtraído com tênis, restaurantes e dízimos na igreja”, escreve Placidina Pires.

Durante o curso do processo, a acusada teria reconsiderado, e disse que confessou às vítimas porque se sentia pressionada na ocasião em que foi presa. Além disso, disse que durante o depoimento policial se utilizou do direito de permanecer calada. “Asseverou que suas declarações foram inseridas pela escrivã de polícia e que não ficava só na residência, e que tudo seria uma armação contra ela”, cita a juíza na sentença.

Só que a Justiça se valeu das provas materiais e periciais juntadas ao processo e a magistrada não acolheu o pedido de imaterialidade delitiva, o que resultou em condenação. A mulher, que tem bons antecedentes criminais, sem passagem pela polícia, recebeu o mandado de começar a cumprir em liberdade a pena de dois anos e seis meses de prisão, além de seis meses destinados a prestação de serviços em instituição pública, mais R$ 4 mil a título de reparação ao casal vítima.

Fonte: https://www.emaisgoias.com.br/baba-condenada-por-furtar-mais-de-r-15-mil-para-dar-dizimo-em-goias/

Sobre Direto da Redação

Veja Também

Inhumas – Operação “Route Malum” revela que vereador e ex, podem estar envolvidos em suposto favorecimento e fraude em licitações de transporte escolar

Espalhe por ai: A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Delegacia de ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.